Como funciona o CENTRO DE APRENDIZAGEM?

Resumo

A enraizar tem um centro de aprendizagem comunitária que dá apoio às famílias com crianças em ensino doméstico. Podem participar crianças do 1.º  ciclo do ensino básico.

Os princípios de ação da enraizar são a Sabedoria e a Felicidade através do desenvolvimento progressivo da autonomia, responsabilidade, criatividade, disciplina e cooperação.

A construção da aprendizagem assenta num contacto permanente com a Natureza segundo linhas pedagógicas que promovem as qualidades humanas que caraterizam cada um de nós.

 

Princípios Educativos

A enraizar tem três pilares que sustentam a sua prática – os valores, a multirreferencialidade teórica e o marco legal.

 Os valores

  • Afetividade
  • Honestidade
  • Respeito
  • Responsabilidade
  • Solidariedade

A Multirreferencialidade teórica

Existem um conjunto de referências que fundamentam o trabalho que desenvolvemos: Freinet, Montessori, Krishnamurti, Steiner, Vigotsky, Agostinho da Silva, Paulo Freire…

As nossas grandes inspirações são o Projecto Âncora e os projetos de “outdoor learnig”.

O marco legal

O trabalho desenvolvido na Enraizar está de acordo com os objetivos do Ensino Básico definidos na Lei de Bases do Sistema Educativo português e respetivas Metas de Aprendizagem.

 O percurso educativo articulará e valorizará oito dimensões fundamentais:

  • Linguística
  • Lógico-matemática
  • Naturalista
  • Identitária
  • Artística
  • Cinestésico-corporal
  • Intrapessoal
  • Interpessoal

A enraizar dá ênfase especial ao desenvolvimento dos seguintes aspetos:

  • Iniciativa pessoal
  • Criatividade
  • Espírito empreendedor
  • Empatia
  • Multilinguismo
  • Cooperação
  • Capacidade de comunicação

Queremos ajudar no desenvolvimento de cidadãos capazes de abordar com êxito os desafios permanentes da nossa sociedade.

 

Princípios Pedagógicos

  • A comunidade é o lugar da aprendizagem

Porque a vida está dentro e fora das quatro paredes e acreditamos que “é preciso uma aldeia para educar uma criança”.

  • Vivência de experiências reais

Porque a apropriação de competências em contexto real é naturalmente mais significativa através de experiências interativas com o conhecimento – aprender fazendo.

  • A curiosidade como motor de aprendizagem

Porque as crianças têm uma vontade natural de descoberta do mundo que as rodeia. Esta é uma característa fundamental ao longo de toda a vida.

  • Brincadeira livre

Porque os momentos espontâneos são muito importantes no desenvolvimento de competências transversais.

  • Comunicação

Porque temos de comunicar para nos fazermos entender e partilhar o nosso conhecimento.

  • Multilinguismo

Porque na relação precoce com diferentes idiomas a integração linguística se faz com mais naturalidade. É através da imersão linguística que atingimos uma maior abertura cultural.

  • O conto

Porque é uma ferramenta que pertence a todos como objetivo cultural e é capaz de desenvolver a nossa imaginação e criatividade.

  • Grupos mistos

Porque a heterogeneidade incrementa o saber através de aprendizagens que  também se constroem entre pares.

  • Crianças/tutores = 20/2

Porque para fomentar a criação de um ambiente de confiança e de tutoria sustentável a orientação pedagógica tem de contar com um maior número de tutores com formação especializada e com a restante comunidade educativa.

 

As instalações

A enraizar tem um vínculo especial com o espaço natural e com lugares de aprendizagem em contexto real.

O local de trabalho será selecionado de acordo com o projecto de aprendizagem em desenvolvimento. Poderemos trabalhar na sede da enraizar, na horta, no mercado, na biblioteca municipal, na praia, no lar, na casa do senhor Raul…

A sede da enraizar é um ponto de encontro. É um espaço agradável ao convívio comunitário e equipado com todas as ferramentas necessárias ao desenvolvimento das aprendizagens.

 

Os materiais

As ferramentas que utilizamos diariamente têm muita importância no processo de desenvolvimento das aprendizagens. Por isso privilegiamos o uso de materiais naturais, reciclados e reutilizáveis.

Os materiais serão utilizados numa perspectiva cooperativista conduzindo as crianças à necessidade de partilhar.

 

Desenvolvimento das Aprendizagens

O trabalho desenvolvido na enraizar convida a criança a vivenciar os conhecimentos, as diversas formas de compreender e estar no mundo que a rodeia em apoio ao trabalho realizado pela família.

Entendemos que cada criança é um indivíduo único e que dever ser tratado como tal. O que nos importa é descobrir e encorajar  os interesses, as necessidades, as aptidões e as potencialidades de cada uma delas.

A enraizar acontecerá em lugares de convívio com os outros, onde se aprende  numa constante troca de experiências, de ideias, de gostos e de sonhos. A nossa meta é o desenvolvimento da autonomia nas crianças e também nos adultos.

 

Ferramentas

Temos doze ferramentas que auxiliam a nossa prática e possibilitam o exercício da reflexão, da autonomia e do trabalho coletivo.

 

  • Acho bem / Acho mal

É uma tabela com as colunas “Acho bom”, na qual as crianças podem listar o que acham bem, e a “Acho mal”, com os itens que não nos agradam e que são levados para discussão na assembleia semanal.

 

  • Assembleia semanal

É um exercício de cidadania que proporciona e garante a participação democrática das crianças na tomada de decisões que dizem respeito à organização e funcionamento do trabalho que se vai desenvolvendo. Somente quando há consenso é que se cumpre o que foi decidido.

 

  • Preciso de ajuda / Posso ajudar

Quando alguma criança sente dificuldade em aprender algum assunto específico, ele preenche o quadro “Preciso de ajuda”. Outra criança, que sente possuir um conhecimento do assunto, inscreve-se na coluna ao lado – “Posso ajudar” – e ensina o colega com a dúvida. O tutor e a família vão sempre orientando esta prática numa perspectiva de desenvolvimento crescente de autonomia do grupo de crianças.

 

  • Comissão de ajuda

Faz parte da organização da Assembleia. É este grupo que prepara o espaço da Assembleia, organiza o livro de presenças e ajuda a manter a ordem.

 

  • Lista de conteúdos por objetivos

Consiste numa lista completa das metas de aprendizagem definidas legalmente. Encontra-se afixada num mural, com os itens simplificados ao nível de compreensão das crianças.

 

  • Murais

Informações a serem partilhadas com toda a comunidade educativa são colocadas nos murais.

 

  • Pedir a palavra

Sempre que alguém, dentro de um espaço de trabalho, pretende falar ou intervir  num debate ou assembleia, levanta o braço como forma de pedir a palavra.

 

  • Projeto de aprendizagem e avaliação

É o caminho de aprendizagem a ser desenvolvido pela criança. Composto por uma lista de objetivos onde cada criança, sob orientação da família e do seu tutor, avalia o que já sabe e o que falta saber. Todas as avaliações realizadas no decorrer do tempo são registadas e resultam numa síntese, acrescida da avaliação de atitudes e competências.

 

  • Plano individual de trabalho – P.I.T.

Com a orientação da família e do tutor, a criança escolhe o que estudar num determinado espaço de tempo (ex.: período de uma semana ou quinzena) e monta o seu roteiro. Diariamente, a criança faz o seu plano diário, com a gestão do tempo, espaços e conteúdos a cumprir.

 

  • Família

A família é um elo fundamental na relação com o grupo e no desenvolvimento das aprendizagens. A Enraizar conta diariamente com a participação das famílias, tendo em conta a sua disponibilidade.

 

  • Tutor

Pessoa responsável por orientar a criança, avaliar o desenvolvimento da autonomia, acompanhar as suas atitudes, aprendizagem, relações familiares e sociais, numa relação estreita com a família.

 

  • Trabalho de campo

Visitas regulares aos locais onde as crianças podem aprender interagindo com o meio, vivenciando experiências e recolhendo dados num contacto privilegiado com os elementos naturais.

 

Organização da semana

O centro de aprendizagem está disponível todos os dias úteis no apoio às famílias com crianças em ensino doméstico durante 11 meses, encerrando no mês de agosto.

As famílias podem utilizar o centro em qualquer dia da semana.

Cada semana tem uma estrutura regular, composta por 3 tipos de dia:

  1. Dia normal (3x por semana)
  2. Dia de trabalho de campo (1x por semana)
  3. Dia de oficina (1x por semana)

 

Exemplo de uma semana:

segunda-feira terça-feira quarta-feira quinta-feira sexta-feira
dia normal dia normal trabalho de campo dia normal oficina

 

Esta organização pode ser alterada tendo em conta os diferentes projetos que se vão desenvolvendo.

 

A estrutura diária

O centro de aprendizagem abre às 08h30 e encerra às 18h30. As famílias podem utilizar o centro a qualquer hora do dia.

Exemplo de um dia normal:

08h30 – 09h30 Ginástica

09h30 – 12h00 Desenvolvimento do P.I.T. e lanche

12h00 – 13h00 Almoço

13h00 – 15h30 Desenvolvimento do P.I.T.

15h30 – 17h30 Brincadeira livre, lanche e hora do conto

17h30 – 18h30 Arrumação e avaliação do dia.

 

Exemplo de um dia de trabalho de campo:

08h30 – 09h30 Preparação da saída

09h30 – 10h00 Deslocação

10h30 – 11h00 Lanche

11h00 – 12h30 Trabalho na Biblioteca Municipal

12h30 – 13h30 Piquenique

13h30 – 15h00 Trabalho na Biblioteca Municipal

15h00 – 17h00 Brincadeira livre no parque, lanche

17h00 – 17h30 Deslocação para a sede

17h30 – 18h30 Arrumação e avaliação do dia

 

Exemplo de um dia de oficina:

08h30 – 09h30 Ginástica

09h30 – 12h00 Construção de escultura e lanche

12h00 – 13h00 Almoço

13h00 – 15h30 Conclusão da escultura e apresentação ao grupo.

15h30 – 17h30 Brincadeira livre, lanche e hora do conto

17h30 – 18h30 Arrumação e avaliação do dia